Fotos e entrevista: Marisa Pedro Pfeiffer

 

Jorge Aragão é dessas pessoas que iluminam o lugar onde estão. No Sambafest em Bülach na Suíça, em junho passado, não foi diferente. Com o sorriso largo, Jorge entrou no palco e encantou o público composto de fãs antigos, brasileiros e europeus, mas também de muitos jovens. “Achava que as minhas letras não tinham a ver com a garotada”, diz Jorge referindo-se ao público jovem que muito aprecia sua música, também fora do Brasil.
Jorge Aragão na Suíça
Jorge Aragão da Cruz tem 66 anos e é natural do Rio de Janeiro. Desde 1967, ele é cantor, sambista e compositor de inúmeras músicas, sendo Malandro o seu primeiro e maior sucesso. “Desde cedo eu tive contato com a música. Me lembro que ainda criança eu sentava embaixo da mesa e ouvia aos sábados o programa do Luiz Gonzaga, o Gonzagão. Música sempre fez parte da minha vida e transformar o meu hobby em profissão foi um processo natural.”
Quando perguntado sobre qual recomendação daria para quem quer ser músico, ele diz que é difícil dar conselho, pois ele mesmo é um autodidata, não sabe cifras ou notas e tem a música no sangue. “Para quem quer ser músico, aconselho que estude (risos). Não faça como eu, porque não sou bom exemplo.” Mas a realidade mostra outra coisa: com mais de 20 discos gravados e milhões vendidos, sua música já foi tocada até em Marte. Coisinha do Pai foi composta por ele e interpretada por Beth Carvalho, acordando em 1997 o robô Sojourner no planeta vermelho. “Eu recebi essa notícia juntamente com todo mundo, através de uma matéria que saiu, se não me engano, no Fantástico. Sou provavelmente o compositor mais tocado em Marte, mas isso não supera o meu prazer de ter feito essa música para minha filha.”
Jorge já se apresentou algumas vezes na Suíça, onde seus shows são sempre bem frequentados. Ele gosta de lembrar quando esteve em Montreux em 2005, apresentando-se juntamente com Beth Carvalho no Montreux Jazz Festival. “Eu fiquei surpreso e envaidecido de terem me colocado em um hotel tão especial, que ficava em frente ao festival. Me senti o cara (risos). Gostei muito da Suíça e de toda a Europa, pelo menos por onde passei. A parte ruim nunca chegou até mim, pois sempre encontro pessoas generosas e que me tratam com o maior carinho e consideração. Fico muito feliz em cantar em terras tão distantes, sabendo que as pessoas me dão valor.”
Quais são os sonhos que Jorge Aragão ainda quer realizar? “Deus já fez tudo por mim, disso eu tenho certeza absoluta. Já vivenciei momentos em que pensei que a minha vida na terra tinha acabado e na verdade não era nada disso. Continuo podendo fazer da minha carreira algo brilhante e que me dá orgulho, assim como à minha família, minhas filhas e netos. Meus sonhos estão todos realizados, só tenho o que agradecer. Só tenho que dizer obrigado para todos e para tudo o que me aconteceu até hoje. Sou uma pessoa feliz!”
Jorge Aragão concedeu entrevista online a Marisa Pedro Pfeiffer, que esteve presente no seu show no Sambafest em Bülach, Suíça, e igualmente se encantou com sua simpatia e seu carisma.
Em cooperação com Sandra Produções.