Parece que foi ontem que cliquei no botão publicar e coloquei na rede o Milão nas mãos, primeiro blog exclusivamente sobre Milão escrito por uma brasileira. Hoje mais de um ano depois, eu quero compartilhar com vocês 10 dicas para aproveitar Milão como um milanês.

Milão nas mãos no Facebook

Milão nas mãos no Instagram

É proibida a reprodução de qualquer conteúdo sem autorização por escrito da fotógrafa.

Comece o dia com um “cappuccio e brioche”
Sim, esse é o café da manhã clássico do milanês, melhor se for consumido em um dos milhares de bares da cidade. Não precisa se sentar, porque aqui o café da manhã não é demorado. Peça seu cappuccino como você prefere (normal, fervendo, com chocolate em pó por cima ou sem). Peça a sua brioche, um croissant doce, simples, recheada com geléia de abricot, chocolate ou creme e que pode ser deliciada mesmo em pé, no balcão.

 

Se locomova o máximo que puder de bicicleta
Milão não é considerada uma cidade bike friendly, mas as coisas estão mudando por aqui e eu acho que os milaneses usam bastante esse meio de locomoção. Nem sempre é fácil, por causa da pavimentação da cidade, mas é uma ótima maneira de se conhecer a cidade, que não é assim tão grande e é plana. Os turistas podem usufruir do serviço de compartilhamento de bicicletas, que desde que foi lançado, é um sucesso. Eu tenho a minha carteirinha para o ano todo e a partir de março, quando posso, pedalo.

Evite o centro nos finais de semana

O centro de Milão é onde fica a maior concentração de pontos turísticos, como a Duomo, Galeria Vittorio Emanuele, Teatro Scala e o Castelo Sforzesco e é completamente normal que os turistas circulem por lá. Também é o lugar onde ficam concentrados os eixos de compras acessíveis como Via Torino e Corso Vittorio Emanuele e atrai todos os finais de semana, pessoas que não moram na cidade, mas que vão dar uma passeada. Ou seja, uma tarde de sábado ou domingo na Praça Duomo pode ser uma experiência bem “apertada”, dependendo da época do ano e com certeza, você não vai ver os verdadeiros milaneses circulando por lá.

Frequente os bairros do momento

Essa dica está relacionada a anterior. Se você puder evitar o centro nos finais de semana, pegue um mapa, bata pernas, pedale ou use mesmo o transporte público para descobrir zonas mais autênticas. Uso a palavra zona porque bairro não define bem o espaço urbano de Milão, que é bem pequena para os moldes brasileiros. Brera, Navigli, Zona Tortona, 5 Vie e, a cada vez mais a dinâmica, zona Isola, são os lugares onde os locais vão passar seu tempo livre entre bares, restaurantes, lojas e livrarias.

 

Coma um panino

Panino é um sanduíche e em toda a Itália você pode comer ótimos “panini” com ingredientes de qualidade como muzzarela de búfala, presunto cru, speck, azeite tartufado e por aí vai. Mas comê-los em Milão tem um “quê” de especial, já que foi aqui que nasceu o movimento cultural juvenil nos anos 80 chamado “Paninari”. Quem foi adolescente nos anos 80 talvez se lembre da música dos Pet Shop Boys dedicada a eles, que se chamava Paninari. Os lugares clássicos aqui, com cardápios super elaborados são: De Sanctis, Panino Giusto, Paninoteca, Chiù, Gb Bar.

 

Fotos: Wikipedia

Simpatize e torça para o Milan ou Inter

Não tem como, se você está em Milão, ou torce Milan ou Internazionale (di Milano). Os dois times são eternos rivais e jogam o clássico mais disputado do campeonato italiano. O Milan foi fundado em 1899 por um grupo de ingleses e italianos e por ele já passaram grande jogadores brasileiros como Leonardo, Dida, Cacá, Robinho e Ronaldinho Gaúcho e seus jogadores são chamados de rossoneri, pela cor do uniforme preto e vermelho. Já o Internazionale di Milano, aqui chamado de Inter, foi fundado em 1908 por 44 sócios dissidentes do Milan. Os “neriazurri”, assim chamados pela cor do uniforme azul e preto também tiveram inúmeros jogadores brasileiros, entre os mais famosos: Ronaldinho, Adriano e o goleiro Júlio César.

 

Faça um aperitivo
Vir a Milão e não curtir pelo menos uma noite um dos seus famosos aperitivos (happy hour) é como conhecer a cidade pela metade. Esse é um ritual milanês por excelência! Não é um programa turístico, apesar que os turistas mais ligados já conhecem a fama da modalidade milanesa dos bares por aqui. A partir das 18 horas, eles oferecem um vasto buffet de pratos quentes e frios em troca de um drink. Pelo menos duas vezes por semana, milaneses de todas as idades deixam seus escritórios para encontrar amigos, namorados e até contatos de negócios para conversar em volta de uma mesa saboreando uma taça de espumante, de vinho, um drink ou uma cerveja.

 

Fuja um dia para os lagos 
Bem, estou te mandando para fora de Milão e isso não é coerente com o título, mas se você passar por aqui por volta de uns quatro dias, eu aconselho uma fujidinha a um dos vários lagos nos arredores de Milão. Por que? Porque nós no Brasil não temos nada de parecido com os lagos daqui, que são enormes e de uma grande beleza. A partir de abril começa a ficar quente por aqui. Os milaneses vão para os lagos no final de semana, o que torna as localidades um pouco mais cheias. Quem passa por aqui por turismo, pode aproveitar tudo em um tranquilo dia de semana. Em localidades como Desenzano e Peschiera del Garda (Lago de Garda), Como (Lago de Como) são bem acessíveis saindo de Milão com trem em viagens breves. Quem está de carro, pode se aventurar também nos menores lagos, mas não menos lindos, de Iseo e Orta.

 

Aproveite os parques na primavera e verão Turista tem geralmente seu tempo apertado e quase nunca faz uma pausa para apreciar os parques das cidades. Milão também conta com grandes parques como o que fica atrás do Castelo Sforzesco ou os Jardins Públicos em Porta Venezia. Depois de meses de invernos, os milaneses aproveitam cada comento de calor e sol a partir da primavera para fazer pic nics, correr, andar de bicicleta ou simplestemte tomar um pouco de sol nos parques da cidade.

Aprecie a cidade pelo o que ela é

Esse é uma dica que eu daria para qualquer cidade. É preciso parar de fazer muitas comparações. Milão fica na Itália, mas aqui você não vai ver senhoras vestidas de preto sentadas para fora das casas e nem roupas penduradas em ruas estreitas de uma janela a outra. Ela é a mais cosmopolita das cidades italianas e talvez seja onde a Itália é menos italiana. Mas minha dica é que você a aproveite sem fazer comparaçoes, porque ela não é Veneza (nenhuma cidade é,) nem Florença e nem Roma. É uma outra cidade. Milão oferece muita arte, arquitetura, história, boa comida, vinhos, boas compras, gente bonita e (ainda) uma qualidade de vida que muitas cidades invejariam. Então relaxe e aproveite seus dias por aqui tirando o melhor das coisas!
Boa estadia.
Beijos
Magê