A professora Christine Marote era funcionária pública e atuava como chefe do Departamento de Cultura, em Praia Grande, São Paulo. Há cinco anos, ela mudou-se com a família para China, onde trabalha assessorando brasileiros que estão de mudança ou apenas visitando o país. Ela escreve profissionalmente no blog China na minha vida e atua também como palestrante.
Eu não escolhi morar na China, sempre digo que a China me escolheu (risos). A minha nova opção profissional também foi quase por acaso. Quando percebi, já estava nela. Em 2009, escrevia alguns e-mails para amigos contando o que acontecia por aqui. Praticamente todos diziam que eu precisava escrever um blog, que eu contava as coisas de forma divertida e que seria um sucesso. Então, em 2010, após quase dois anos sem ir ao Brasil, fomos visitar a minha família, que organizou uma festa e convidou mais de 120 pessoas que mantinham contato conosco. Foi demais! Fizemos muitas fotos, rimos bastante, nos abraçamos e choramos de alegria. E no final foi isso que me deu coragem de voltar e mudar de rumo. Percebemos que temos amigos e pessoas queridas que nos acompanharão durante a vida, não importando quão distante fisicamente possamos estar.

Voltei para China cheia de entusiasmo, de esperança, realmente renovada. Um mês depois comecei o blog China na minha vida e desde 2012, ele tem um foco profissional. Eu procuro postar duas a três vezes por semana no blog e atualizo a página do Facebook duas vezes por dia. Além de preparar artigos para outros blogs e sites que me convidam a escrever, também sou colaboradora fixa do Brasileiras pelo mundo.

Para me inteirar da cultura chinesa e para melhorar meu inglês eu fiz um  MBA* sobre a influência da cultura nos negócios na China, na Shanghai Jiaotong University. O que me dá mais prazer na minha nova atuação de dar suporte a pessoas que estão mudando ou visitando a China é o contato com as pessoas. Sou pedagoga de formação, mas trabalhei muito tempo com eventos e cultura. Outra coisa que me fascina é poder abrir portas, mostrar algo meio místico como a China, compartilhar as minhas experiências e perceber que muitas vezes isso pode mudar a vida de alguém.

Que conselho você daria para quem está se mudando para o exterior?

Acho que uma coisa é básica para quem muda de país, em especial a mulher que deixa sua carreira no Brasil: mantenha o foco no futuro e procure tornar seu tempo útil, seja investindo na antiga ou na nova profissão. Talvez sendo voluntária, buscando cursos ou viajando para conhecer o novo local onde vive. Por mais difícil que possa parecer, é importante interagir com a sociedade onde está vivendo.

Sempre busquei muito inspirações nos textos que me dizem algo. Na época da mudança, me deparei com uma frase que compartilho aqui com as pessoas que estão nesse mesmo barco. Espero que toque o coração de muitos e que traga a mesma força que me trouxe naquele momento:

“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.”

twitter.com/christinemarote